Imigração: O Canadá é um dos países mais procurados para quem quer mudar de vida

Qualidade de vida, câmbio favorável, facilidade na obtenção do visto, além de outros fatores fazem do Canadá um dos destinos preferidos pelos brasileiros para intercâmbio. Além desses, outros pontos fazem com o que país também seja bastante procurado para quem quer mudar de vez de país como, por exemplo, a baixa taxa de desemprego, atualmente apenas 5.8%. Recomeçar a vida em um novo endereço, certamente, é um grande desafio, mas as vantagens de viver no “True North” têm feito com que cada vez mais brasileiros busquem a residência e, consequentemente, a cidadania canadense.

Apesar de ser o segundo maior país do mundo, ficando atrás apenas da Rússia, o Canadá é escassamente povoado tendo aproximadamente 35,5 milhões de habitantes. Isso faz com que a mão-de-obra seja bastante escassa em alguns setores, abrindo portas para trabalhadores de outros países ocuparem essas vagas. Apesar disso, o caminho exige muito planejamento e dedicação, a começar pelo idioma e, dependendo da província, é necessária a fluência tanto no inglês quanto no francês.  Inclusive, o idioma é sempre o primeiro passo para alcançar o sonho canadense e, em alguns casos, é como os brasileiros têm o primeiro contato com o país, através de intercâmbio de idiomas (inglês e/ou francês). De acordo com uma pesquisa da Belta (Brazilian Educational & Language Travel Association), que reúne empresas brasileiras que trabalham com intercâmbio, há mais de 12 anos o país ocupa o primeiro lugar entre os destinos preferidos pelos brasileiros.

Rankings em diversas áreas e realizados por diferentes organizações ao redor do mundo sempre colocam o país entre os primeiros lugares quando se refere a pontos que afetam diretamente a qualidade de vida de seus moradores, como segurança, educação e saúde. No que diz respeito à educação, por exemplo, desde 2010, o Canadá é considerado o país mais educado do mundo pela OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico). Com 56,7% dos adultos canadenses tendo recebido um grau pós-secundário, sendo 10% a mais que os EUA e 16% acima da média organização. Esse ranking baseia-se no nível de educação de adultos com idades entre 25 e 64 anos.

Além disso, em uma pesquisa global realizada pela “US News & World Report” com base em fatores como: sistema de educação público; se as pessoas considerariam frequentar uma universidade naquele país; e se educação de alta qualidade é fornecida naquele país, o país ficou em terceiro lugar, ficando atrás apenas do Reino Unido e dos Estados Unidos. A classificação baseia-se em um estudo que entrevistou mais de 20.000 cidadãos globais de quatro regiões para avaliar percepções de 80 países em 75 métricas diferentes. O Canadá ficou em 1° lugar em qualidade de vida e esse, inclusive, é um dos principais atrativos do país para quem pretende imigrar e mudar de vez de endereço.

Segundo as instituições que realizaram essa pesquisa, essa subclassificação inclui pontos como acesso à alimentação e habitação, à educação e à saúde, além de segurança no emprego, estabilidade política, liberdade individual e qualidade ambiental. Esse é o quarto ano consecutivo que o Canadá ocupa o primeiro lugar nesse ponto. Na verdade, o país é classificado entre os 10 melhores em todos, com exceção de um dos nove atributos, a acessibilidade, em que os países asiáticos dominam.

A brasileira Natália Rabelo, foi estudante Hi Bonjour e hoje está entre essas pessoas que agora têm o Canadá como novo lar. Atualmente, já com a Residência Permanente, ela conta que a qualidade de vida e a segurança são alguns dos pontos que a motivam diariamente. “A qualidade de vida aqui é incrível, principalmente, se comparada com Recife, por exemplo. Poder andar na rua sem precisar me preocupar com a segurança é um alívio bem grande”, afirma. O sonho canadense começou com um curso de Business Marketing, em 2017, mas como já conhecia o país desde 2005, ela e o marido já vieram com o plano para imigrar traçado. Assim como eles, só no ano passado, 22,4 mil pessoas entregaram a declaração de saída definitiva do Brasil com destino ao Canadá, segundo a Receita Federal.

Natália Rabelo

Apesar de o país ter uma alta taxa de empregabilidade, que atualmente chega a 74,20%, de acordo com a OECD, quem muda de país precisa entender que é preciso dar uns passos atrás na carreira durante esse processo de imigração. Natália, por exemplo, passa por esse momento. “É preciso reconstruir a carreira aqui e ainda estou bem no começo da minha experiência canadense. Atualmente, trabalho na área de Marketing, mas numa posição abaixo da que tinha no Brasil”, conta. Vários imigrantes passam por situação semelhante, então, é bem importante estar preparado quanto a este ponto para que uma possível frustração não atrapalhe os planos. Pois, pode demorar um pouco para se alcançar o status profissional anterior à mudança.

Aos que pretendem imigrar, é sempre bom lembrar que é importante ter a mente aberta às diferenças culturais e sociais, além de focar no planejamento para estar preparado para os obstáculos que possam surgir. Caso você faça parte dos que querem fazer do Canadá seu novo lar, entra em contato com a gente pelo contato@hibonjour.com.br que damos todo o suporte necessário para tirar seus planos do papel.

Fontes:
OECD http://www.oecd.org/
US News & World Report www.usnews.com
Statistics Canada www.statcan.gc.ca
Belta http://www.belta.org.br

Gostou deste artigo? Compartilhe!

Deixe um comentário