INTERCÂMBIO DE IDIOMAS: Planejamento e pesquisa garantem uma experiência de sucesso

Aprender um novo idioma e viajar está na lista de muitas pessoas como resolução e a melhor maneira de unir as duas coisas é justamente com um intercâmbio de idiomas. Reflexo disso é que, no ano passado, cerca de 415 mil brasileiros embarcaram para esse tipo de programa no exterior, um aumento de 13% comparado ao ano anterior.

A experiência de um intercâmbio é sempre uma grande oportunidade de desenvolver conhecimento, não só em relação ao idioma, mas também é uma oportunidade de expandir os horizontes culturais e crescer pessoalmente. Algumas pessoas almejam viver essa experiência, mas às vezes falta planejamento e direcionamento para dar os primeiros passos e realizar esse sonho.

Com estudantes de diferentes partes do mundo, a experiência vai além além da cultura do país onde está sendo feito o intercâmbio. É um momento de trocas de aprendizado, cultura e uma chance de fazer amizades que podem durar a vida toda. Algumas vezes, inclusive, esse tipo de intercâmbio é o primeiro passo para uma mudança permanente de endereço, pois há estudantes que começam um planejamento mais ousado com um curso de idiomas para passar por um teste de adaptação ao país e à rotina.

Pontos importantes no planejamento

A pesquisa é essencial em qualquer planejamento e para um intercâmbio não seria diferente. É muito importante que essa experiência seja em um lugar onde o estudande se identifique e nesse ponto entram vários fatores importantes: clima, estilo de vida, duração do intercâmbio, idioma a ser estudado, país, entre outros. Para começar, defina qual será a duração do seu programa. Para um intercâmbio de idiomas, o ideal é, no mínimo, 4 semanas para que possa absorver bem o conteúdo que vai aprender e ter a oportunidade de vivenciar a rotina da cidade escolhida.

Com o tempo de curso definido, poderá pensar no lugar que deseja fazer seu intercâmbio e essa é uma questão muito pessoal. Então, é importante pensar em alguns pontos: Qual a estação do ano eu gostaria de conhecer? Qual meu estilo de cidade? Prefiro cidades grandes, com perfil mais agitado ou é melhor uma cidade pequena, mais tranquila e acolhedora? Prefiro um lugar com mais natureza ou meu perfil é mais metropolitano? São questões pertinentes na definição do local.

Próximo ponto importante é o objetivo do intercâmbio. Pois, esse tipo de informação pode definir a carga horária e o tipo de aula. Algumas escolas de idioma têm programas específicos, por exemplo, inglês para negócios, inglês médico, entre outros. Para esse tipo de programa, é necessário já ter um nível entre intermediário e avançado do idioma, pois as aulas vão ser específicas com vocabulário voltado para aquele tipo de curso. Os cursos regulares podem ser iniciados de qualquer nível, mesmo do básico. O intercambista vive uma imersão total e isso desenvolve rapidamente o idioma, não importa o nível. Vale ressaltar que dedicação, estudo e comprometimento são fundamentais.

O perfil de cada intercambista também define onde ele vai preferir ficar hospedado. As escolas oferecem hospedagem em homestay ou residência estudantil. Mas, o que é homestay? Também conhecida como casa de família, esse tipo de hospedagem é oferecido por famílias que se cadastram junto às escolas de idioma para receber estudantes internacionais. É ainda mais uma chance de imersão no idioma e na cultura local. Geralmente, é possível contratar esse tipo de hospedagem com diferentes tipos de “pensão”: apenas o café da manhã, ou 2 refeições (café da manhã e jantar) ou as 3 refeições (nesse caso, a hostfamily costuma preparar o almoço para o aluno levar para a escola, já que a grande maioria tem aulas até à tarde). É preciso ficar atento a esse tipo de hospedagem, pois há regras a serem seguidas. Alguns exemplos são: não pode receber visita, não pode fazer barulho após um determinado horário; caso o estudante decida não jantar com a família, é preciso avisar com antecedência, entre outras regras. Mas, as famílias que recebem esses estudantes costumam ser extremamente receptivas e acolhedoras e com uma boa conversa, pode até haver adaptações e flexibilizações de alguns pontos.

Já na residência estudantil, os estudantes costumam dividir áreas em comum como cozinha, sala de estar e banheiro com outros estudantes e as refeições não estão incluídas. Há a interação com outros estudantes, mas a imersão não é tão forte como em uma casa de família.

Por fim, o estudante não pode esquecer de contratar um seguro saúde para o período da viagem. Assim, caso aconteça algum imprevisto, o estudante estará coberto para assistência médica. Inclusive, há alguns países que não permitem a entrada dos estudantes sem que apresentem  o seguro saúde. 

Lembre-se: os intercâmbios de idioma podem ser planejados (e pagos) com bastatante antecedência, pois as formas de pagamento costumam ser flexíveis. Dentre as opções incluem parcelamento no cartão de crédito, no boleto bancário ou por transferência bancária. Para saber mais informações ou para começar a planejar seu intercâmbio, entre em contato com a Hi Bonjour pelo e-mail contato@hibonjour.com.br

Gostou deste artigo? Compartilhe!

Deixe um comentário

Chat via Whatsapp
Send via WhatsApp