Mercado de Trabalho no Canadá – Entrevista com especialista de recrutamento em Vancouver

Uma das perguntas que mais recebemos quando conversamos com nossos estudantes é sobre o mercado de trabalho e como conseguir o primeiro emprego no Canadá. Apesar do processo ser simples e funcionar como em todos os lugares do mundo (envio de currículo, seleção, entrevista, trabalho), detalhes como nível de fluência no idioma, experiência na função e como você se porta na entrevista podem fazer muita diferença. Por isso, hoje conversamos com a especialista em recrutamento, Karen Berna, que mora em Vancouver. Ela tira dúvidas e dá dicas para quem está se preparando para entrar no mercado de trabalho canadense.

 

1) Para um estrangeiro, qual deve ser a principal preocupação na hora de conseguir um emprego no Canadá?

Existem diversos pontos de atenção quando você busca emprego fora do seu país​. No entanto, é preciso estar atento a algumas informações:

CULTURA

​É chover no molhado, eu sei… Não é novidade para ninguém falar que a cultura entre países muda. Quando ela é gritante, como entre orientais e ocidentais, fica fácil. Mas e quando ela é tão sutil que você só percebe quando cometeu uma gafe? Nossa cultura é muito próxima a dos Canadenses (e Americanos, Australianos, Europeus, etc) e é aí que mora o perigo. Uma palavra errada, uma má interpretação por parte do empregador pode colocar tudo a perder.

IDIOMA

Temos duas situações bem distintas quando falamos em conseguir um emprego: a de conseguir um trabalho temporário e não na sua área de conhecimento (seja apenas para pagar as contas ou com o intuito de treinar inglês e fazer conexões) e de conseguir um trabalho que seja uma extensão da sua vida no Brasil, ou seja, mesmo cargo, perfil de empresa, remuneração e em sua área de atuação. É importante ter em mente que o nível de exigência quanto aos seus resultados e ao seu idioma mudará de um cenário para o outro. Mas, seja mais fluente ou menos fluente, o idioma é a chave que irá determinar a sua caminhada. Quanto mais proficiente você for, mais altos os níveis que poderá alcançar.

LEIS LOCAIS

​Este item não apenas é importante para você ser capaz de entender uma oferta de emprego, aceitar ou não aceitar um contrato e negociar seus direitos, como também para saber se existe alguma discrepância entre o que é permitido no Brasil e proibido no Canadá. Talvez você fale sobre uma conquista sua no Brasil com muito orgulho, entretanto os meios utilizados são considerados ilegais no Canadá e isso poderá manchar a sua reputação. ​

VISTO

​Esse, na verdade, deveria ser o primeiro da lista. Não existe milagre. “Jeitinho” é uma palavra que sequer existe no idioma inglês. Para trabalhar, você precisa de visto que lhe permita trabalhar. Ponto final.

​ADAPTAÇÃO

​Essa é a parte mais difícil, porque você tem todos estes itens combinados no seu dia-a-dia. E, contra todos eles, estão suas crenças, criação, religião ditando o que você deve fazer. Nas minhas experiências vivendo fora do Brasil eu posso afirmar que, a partir do momento que você decide sair de seu país para tentar uma nova vida em outro, você não precisa deixar de ser quem você é, mas é absolutamente certo dizer que você precisa aprender que a sua verdade não é a única e que, para “sobreviver” à experiência você precisará aprender a mudar perspectivas e quebrar padrões.

2) Como deve ser feita a busca por emprego?

​A busca por emprego aqui não é muito diferente do Brasil. Apenas existem algumas opções que aqui são levadas bem a sério. Vou colocar algumas opções abaixo com base em minha experiência como recrutadora em BC.

Linkedin: se você não tem uma conta e/ou um perfil atualizado e atraente, faça-o agora! Linkedin é uma das (se não a maior) ferramenta de busca de emprego/candidatos do mercado! O mercado de trabalho no Canada está longe de ser igual ao do Brasil, onde, ao postar uma vaga online, são recebidos mais de 400 currículos só nas primeiras 24 horas! Aqui headhunting é coisa séria e nós precisamos estar conectados com profissionais para garantir a melhor contratação possível. Mais de 80% das pessoas que eu já entrevistei e contratei foram encontrados ou aplicaram através do Linkedin. Faça um perfil atraente e mantenha-o atualizado!

​- Sites de emprego: Também muito utilizados para encontrar candidatos. Como o Linkedin é uma ferramenta paga ao recrutador, às vezes utilizamos ferramentas de busca grátis e cruzamos os dedos para termos bons candidatos a nossa espera. Indeed é um deles. Tenha o seu CV atualizado no Indeed e tenha certeza que você está sendo observado! Além do Indeed, aqui vão alguns outros sites: Monster, Eluta, Work BC e BC Jobs (apenas para BC), Workopolis, Canada Jobs, etc.

– Recruitment Agencies: Elas estão mais desesperadas em encontrar você do que você encontrar elas. Eu trabalhei em uma agência e digo: achar bons candidatos é muito difícil. Satisfazer um cliente é 100x pior. Estar em contato com elas é uma estratégia de ouro, uma vez que elas podem até não ter um emprego na hora, mas se pintar algo elas vão te ligar, sim! Aqui vão algumas: Randstad, Angus One, David Aplin, Robert Half, Global Hire Placement, Adecco, Hays, entre outras.

Sites da Imigração: uma das maiores prioridades do governo canadense é garantir a qualidade de vida da população e empregabilidade é um dos fatores mais importantes ligados a isso. O Canadá está há mais de 8 anos no topo da lista dos países com maior qualidade de vida do mundo e eles levam isso muito a sério. Por isso, o governo garante auxílio na busca de emprego garantindo que as empresas divulguem vagas no site.

– School’s Job Boards: Aqui faculdades e colleges, pelo mesmo motivo acima, precisam garantir que seus estudantes entrem no mercado de trabalho. Por esse motivo, eles promovem vagas de empregos através de Job Boards que podem ser online, redes sociais e/ou seus murais.

Career Fairs: Ainda no tópico acima, uma das estratégias para garantir a empregabilidade dos alunos das universidades e colleges é fazer “career fairs”. Eu mesma participei como empregador em diversas. Fique ligado, leve seu CV atualizado junto com portfolio ou outros documentos que possam ser necessários e conecte com os recrutadores. Lembre-se, mercado de trabalho é um mercado como qualquer outro: um querendo vender, outro querendo comprar!

 

3) Quais as principais diferenças entre os currículos brasileiro e canadense?

Currículo é algo bastante subjetivo e cada recrutador prefere de uma forma. Eu já contratei candidatos que me enviaram um CV de 5 paginas. Não concordo em julgar o profissional pelo seu CV, mas às vezes isso acontece, então fique atento a:​

OBJETIVIDADE

​Nós brasileiros somos muito comunicativos e nossa comunicação é detalhista. Pessoas objetivas não raramente são vistas como grossas por nós. Pois bem, aqui é o contrário. Objetividade é sinônimo de eficiência. Um CV objetivo, direto e apenas com informações relevantes ao cargo é o que irá se destacar.

FOCO NA FUNÇÃO/ RESULTADOS

Cargos mais operacionais requerem conhecimento prático, então o foco tem que ser na função (saber fazer). Cargos táticos requerem 60% operação e 40% resultados (estratégia). Assim, esses CVs precisam demonstrar resultados objetivos de forma mensurável (%, $, dias, números…).

 EDUCAÇÃO

​Sim, educação aqui é um fator primordial. Ninguém te descartará se você não se formou na melhor universidade do país ou da província, mas, sem educação formal as portas se fecham um pouco. O mercado valoriza muito profissionais que buscam conhecimentos e o colocam em prática.

EXPLICAÇÃO EMPRESA

​Essa é uma dica pessoal para quem vem de fora. Se você trabalhou em empresas multinacionais de grande renome mundial, ignore essa dica. Agora, se você trabalhou em empresas nacionais de grande renome (ex: Grupo Pão de Açúcar, Ambev, Boticário, etc…)​ coloque SIM uma breve explicação da empresa – mercado que atua, posição de mercado, tamanho, faturamento, empregados, etc… Ninguém aqui sabe que empresa é essa e não imagina a complexidade das atividades que você tinha que lidar. Ao fazer isso, você traz a eles uma informação que os permite comparar com a atual empresa contratante e avaliar se você está ou não preparado para assumir o cargo nesta empresa.

 

4) Que informações são mais importantes na hora de construir um emprego e participar de uma seleção para um trabalho?

Seguem alguns itens importante para se ter em mente durante uma entrevista de trabalho: ​

SUA EXPERIÊNCIA

​Tenha em mente todos os pontos relevantes de sua experiência para a qual está aplicando. Lembre-se de estudar os termos utilizados em inglês/francês e os pontos de destaque (conquistas, projetos, etc)​

PERFIL DAS EMPRESAS QUE TRABALHOU

​Como mencionado na questão acima, diga um pouco sobre as empresas que trabalhou, trazendo pontos que​ criem uma referência com a empresa para a qual está entrevistando. Exemplo: tamanho, mercado, complexidade operacional, etc…

PERFIL DAS ESCOLAS QUE ESTUDOU

Dependendo da área, q​uando muito especializada, às vezes o perfil da universidade que se formou faz uma diferença por conta do corpo docente, estrutura, etc.

POSTURA

​Não importa quão bom e experiente você é​, se você não conquistar o entrevistador, você não passará para etapa seguinte. Lembre-se que você está sendo avaliado por outro ser humano e nós somos feitos de emoção e razão. Seja empático, simpático, leia a postura corporal do seu entrevistador e crie conexão (rapport). Mas cuidado com exageros, eles podem ser vistos como uma deficiência cultural.

COMUNICAÇÃO

Lembre-se que inglês não é e nunca será a sua primeira língua e, por isso, ninguém espera que seu inglês seja perfeito. Você precisa mostrar que é confortável com a sua comunicação e capaz de se comportar bem numa situação mais profissional. Portanto pare com aqueles discursos de auto piedade sobre seu nível de inglês, como “desculpe meu inglês, é que eu estou aprendendo” ou ficar pedindo desculpas toda vez que cometer um erro de gramática e se autoflagelar por isso. Errou? Corrija-se e continue de cabeça erguida e peito cheio de autoconfiança!

5) Além do currículo, no Canadá é necessário enviar, ao se candidatar para uma vaga, uma carta de motivação (cover letter) e, às vezes, até cartas dos seus antigos empregadores. É isso mesmo? Como construir esses documentos?

​Recrutadores são muito ocupados e o quanto você puder facilitar a vida deles, melhor! Evite cartas longas, documentos aleatórios. Primeiro contato, um bom resumo e uma Cover Letter direta, curta e objetiva são suficientes. Daí, durante a entrevista você traz à mesa tudo que tiver que suporte suas habilidades e personalidade.

 

6) Como se portar em uma entrevista com relação a atitude, vestimenta, horário?

​Aqui o bom-senso impera, assim como no Brasil. Chegue 5-10 minutos antes da entrevista, para que você possa evitar qualquer atraso, e também ir se preparando, baixando a sua adrenalina para a conversa que está por vir. Não chegue muito antes que 10 minutos, isso deixa o entrevistador desconfortável. Roupas, maquiagens, perfumes e adornos: menos é mais! Se vista apropriadamente para uma entrevista e não para uma balada! Seja proativo, sorridente e responda apenas o que for perguntado. Evite muitas explicações, pois isso mostra insegurança e, além do mais, pode ser falado algo que não deveria.

 

7) Caso o salário não esteja estipulado como argumentar com o responsável sobre uma melhoria em salários ou amenidades?

​Jamais discuta salário numa primeira entrevista. Geralmente questionamos sobre expectativas salariais no momento da aplicação ou durnte “pre-screening questions”. Sendo assim, seja objetivo e claro quanto ao que busca. Ao receber a proposta e, caso essa não atenda às suas expectativas, este é o momento certo de explicar suas razões por não poder aceitar o salário oferecido e iniciar uma negociação. Jamais se desvalorize. Se a oferta não é o que busca, não aceite. Há muitas oportunidades lá fora esperando por alguém como você!

 

8) Que conselhos você daria a um recém chegado imigrante ou trabalhador internacional na busca pelo seu primeiro emprego?

​1. Planeje-se

​A sua vinda para cá, ou para qualquer outro país do mundo, é algo que deve ser planejado, cada detalhe deve ser pensado. Portanto, você deve estar preparado financeiramente para estar desempregado por alguns bons meses. Não que você não possa encontrar emprego logo de primeira, mas sim que estará preparado e capaz de buscar, saber esperar e aproveitar as oportunidades ideais!

2. ​Foco

​A mudança mexe com nossa autoestima e autoconfiança. Manter o foco é importante, mesmo que tudo pareça estar fora do caminho. Insista, persista e acredite. Foi assim comigo, foi assim com a maioria dos novos imigrantes e provavelmente será com você.​

3. Relaxe

Aproveite essa nova fase de vida e viva cada segundo. Não deixe que o medo, as pessoas, as situações tirem o sabor da conquista. Você conseguiu, está aqui e agora é questão de tempo, paciência, foco e, claro, sabedoria para saber quando relaxar e deixar rolar.

 

10) O que um brasileiro deve esperar do mercado de trabalho canadense?

​Muito parecido do que o mercado brasileiro: trabalhar duro, superar expectativas!

​A pressão muitas vezes pode parecer muito maior, mas esta​ pressão geralmente é interna, não externa. Dedique-se, mas cuidado para não ultrapassar seus limites. Somos muito trabalhadores e crescemos acostumados a esperar pelo pior.

Gostou deste artigo? Compartilhe!

Deixe um comentário

Chat via Whatsapp
Send via WhatsApp